Inovação! Agência aposta em anúncio de 7 segundos para driblar skip do YouTube

adnews-1798460176141271497074284486fc9b9a6d6cd84867891a2456283b0544

Fruittella

Inovação! Essa é a palavra que define a nova campanha da Fruittella, criada pela Social Agency, que faz parte do grupo E.life. Ao invés dos comuns vídeos de 30 segundos que temos antes de assistir algum vídeo no YouTube, a agência propôs algo diferente, um vídeo de 7 segundos.

Com o pouco tempo usado na amostra da campanha, essa ideia permitiu que o anúncio fosse totalmente visualizado. Porém, como o tempo do anúncio foi diferente, uma nova opção precisou ser negociada com o Google, e utiliza o formato True View In-Stream.

Veja a campanha:

Via AdNews

Halls inova com Tweet que muda de cor.

 

tweet doido

É ilusão? Mágica? A Halls fez um grande truque no Twitter na tarde do último dia 24. Via seu perfil na rede, a marca postou um Tweet com a imagem do Halls Prata, e que quando era clicado, se transformava em um Halls preto.

Já na tarde dessa sexta-feira, a agência io! comunica também fez postagem parecida. E não é nenhuma mágica não! Na verdade, é um truque em que é usado um PNG em camadas, modificado para aproveitar uma espécie de brecha do Twitter, que ao expandir a foto, deixa o fundo preto.

Veja aqui e aqui.

Via AdNews

Você já conhece os novos outdoors interativos?

Ja foi-se o tempo em que o outdoor era um simples painel colorido com frases chamativas, preços e fotos de pessoas felizes. Embora estes tipos ainda existam e atraiam consumidores, o universo deste tipo de anúncio está se expandindo. Agora, além dos divertidos modelos 3D (imagem), os novos outdoors interativos não se contentam somente com uma rápida olhada. Agora eles propõem uma ação e te convidam a ser parte da propaganda, seja como ator ou colaborador.

Alguns se aproveitam das últimas tecnologias para interagir com as pessoas por meio dos smartphones, outros realizam contagens, outros se movimentam, o fato é que a criatividade finalmente chegou aos painéis. E se muitos ficam tímidos em participar, não importa: muitas vezes criar um buzz (burburilho) já é o suficiente para que a publicidade cumpra sua missão.

Enquanto eles não aparecem por aí, vamos ver alguns outdoors que convidam o público a agir:

  • Na ocasião de lançamento da terceira versão do Creative Suite Adobe Software, a Adobe colocou um painel interativo na 14th Street, em Nova Yorque, com sensores infravermelhos que acionavam animações e músicas em sincronia com o movimento e proximidade do passante.

  • A missão: chamar atenção para uma exposição de bruxaria em um shopping. A ideia da agência Leo Burnett Iberia: descobrir se a população era superticiosa através de um outdoor com uma escada. Sensores de movimento contavam quem passava por baixo ou não. A exposição foi um sucesso.

Este foi instalado na Argentina para divulgação do Nike 10k, corrida realizada em várias cidades da América Latina. Os transeuntes foram convidados a treinar para as corridas na esteira ou a simplesmente a praticar atividade física por uns minutos. A cada kilômetro corrido, uma quantia era doada para a Unicef.

A série Big Love, da HBO, convidou as pessoas a interagir colocando uma entrada para fones de ouvido em cada cabeça da imagem, que mostrava pessoas comuns em uma rua da cidade. Com o fone era possível escutar alguns pensamentos secretos, confirmando a mensagem no anúncio que dizia “Todo mundo tem algo a esconder”. Também havia uma entrada com um áudio referente à próxima temporada da série.

Este outro, do Mc Donald’s, trouxe um game e oferecia produtos de graça para quem conseguisse os fotografar no outdoor. Então era só achar a lancheria mais próxima e mostrar a foto. Mensagens como “Tire uma foto do sundae e pegue um de graça” faziam a chamada.

Nestes dois últimos exemplos, da Nike e do Gooogle, os outdoors não tem nada de tecnológico, apenas uma boa sacada. Mas nem por isso deixam de ser interativos. Os painéis não são mais do que molduras para as paisagens locais que brincam com a nossa visão e nos fazem admirar o “aqui e agora”.

De vitrines publicitárias estáticas a produtos complexos e/ou inusitados, os outdoors acompanham o desenvolvimento da relação entre empresas e clientes, uma aproximação que ocorre graças à internet e aos novos meios e formas de comunicação.

Fonte: Design Culture

Pen drives que funcionam como post-its

A partir de agora, todos aqueles lembretes colados no monitor do computador finalmente vão armazenar dados. Dois designers criaram um conceito de pen drives USB feitos de papel fino, que se aderem com facilidade a qualquer superfície.

Os DataStickies foram desenvolvidos por Parag Anand e Aditi Singh, do estúdio de design ASDS, de Nova Délhi. Pela sua descrição, parece que eles se cansaram se tentar achar portas USB, criando um pen drive que armazena dados e os transfere diretamente para uma superfície ótica de transferência de dados (ODTS). Ela consiste em um painel fino que se adere à tela de um computador ou outro equipamento eletrônico.
Segundo os designers, os DataStickies contariam com adesivos condutores sensíveis à pressão, que poderiam ser reutilizados em deixar marcas. Você também poderá escrever sobre eles, e as bordas acenderão durante a transferência de dados.

“Se for preciso entregar um arquivo, basta usar um único adesivo, em vez de um pen drive inteiro”, descrevem Anand e Singh. ”Os dados relacionados a um assunto específico em um livro podem ser ‘colados’ na página relevante”. O projeto acaba de vencer o prêmio Red Dot Design 2014, um dos maiores concursos de design do mundo.

Os DataStickies seriam feitos de grafeno, um material que Signe Brewster, do GigaOm, descreve como “uma única camada de átomos de carbono, ligados por um padrão repetitivo de hexágonos”. Ela também destacou que o “adesivo-pen drive” é um milhão de vezes mais fino que o papel. O grafeno permitirá que o usuário carregue uma quantidade significativamente maior de dados que a dos pen drives atuais, embora o material ainda apresente alguns desafios.

Quando vejo flash drives minúsculos em uma loja, me sinto como uma carroça velha. Lembro-me da época em que tínhamos que apagar arquivos grandes de discos rígidos externos para abrir espaço! E agora tudo pode ser armazenado em bilhetinhos colados no computador. Só não deixe seus gatos por perto: aquele relatório importante pode acabar na caixa de areia.

Fonte: Discovery

5 anos mudaram tudo

O documentário “O que mudou nos últimos 5 anos” foi realizado pela HOTWords e tem como tema as grandes transformações vividas pelo mercado da comunicação nos últimos 5 anos. Fazendo assim uma retrospectiva e uma análise dos principais acontecimentos dessa revolução tecnológica, a partir das entrevistas de personalidades envolvidas nesse mercado.