Como era o “photoshop” antes de existir o Photoshop

photoshop

Quem começou a trabalhar com design gráfico ou publicidade há menos de 25 anos não faz ideia de como tem a vida fácil. Em 1990, a Adobe lançou o Photoshop, o software de edição de imagem que veio a se tornar sinônimo do próprio trabalho a que o programa se destina.

Você consegue imaginar o quanto a vida dos designers gráficos ficou mais fácil depois do Photoshop? Então veja o vídeo abaixo, criado pelo portal de e-learning Lynda em homenagem aos 25 anos do software. Nele, o designer Sean Adams mostra como era feito o layout de um anúncio 30 anos atrás: com muito uso da régua, do estilete e da cola!

Já pensou ter que esperar 24 horas até um tipógrafo escrever o texto do seu anúncio? Pois é…

Via Brainstorm 9

Criação de Logotipo – Proporção entre Símbolo e Lettering.

Bom dia a todos, hoje vou escrever sobre uma matéria que me tem ajudado muito ao longo da minha carreira, a regra proporcional de 1/3 entre símbolo e lettering.

Penso que será uma regra muito pouco abordada nas escolas e faculdades, e deste modo vou dá-la a conhecer com a intenção de vos poder ajudar no vosso processo/metodologia de trabalho.

Quando criamos um logotipo, obviamente que o principal é a sua funcionalidade – legibilidade, percepção morfológica e semântica. Quem visualiza ou utiliza o logotipo poderá gostar mais ou menos do que vê, mas a leitura e compreensão deste na sua integra é crucial para a funcionalidade do mesmo, bem como a retenção dessa identidade na memória – pregnância.

Por vezes e de forma errada, o designer atribui durante a sua metodologia, mais tempo ao desenvolvimento da forma do símbolo do que ao lettering. E quando se trata de conjugar as proporções do símbolo com o lettering essa conjugação nem sempre é fácil e poderá trazer problemas no futuro. Teste sempre!

Porquê?  Porque não se pode apenas desenvolver as proporções entre os elementos baseando-nos no nosso gosto pessoal e na nossa noção de equilíbrio. Deve-se realizar testes de redução ao logótipo, para que no futuro não haja problemas na sua aplicação. Hoje o logótipo é para ser aplicado no site, mas amanhã poderá de ter de ser bordado ou aplicado em uma caneta esferográfica… escolher a fonte e o estilo do lettering é tão importante como o tamanho (ponto da letra) e a distância entre caracteres/palavras e elementos.

Quantas vezes imprimimos o logotipo a tamanho reduzido e o símbolo continua a ter leitura mas olettering não acompanha essa leitura? 

Desta forma e para nos protegermos a nível de legibilidade, podemos nos guiar pela seguinte regra: A altura total do símbolo divide-se em 3 partes (1/3) e o lettering terá de ter essa altura de 1/3 do símbolo.

Exemplo1

Exemplo2

Exemplo3

Exemplo4

Exemplo5

Teste e comprove, e irá ver que por mais que reduza o logotipo, o lettering só deixa de ter leitura quando o símbolo também a perder.

Se o logotipo não ficar equilibrado ou ficar com um tamanho de lettering desajustado visualmente em relação ao símbolo, recorra ao 1/4 em vez de 1/3. A altura de 1/4 é o tamanho mínimo que olettering deve de suportar (mas teste).

Em caso de o logotipo ter designação de serviços, (por baixo do logotipo – Exemplo 5 – LUXURY BRAND) terá de ter atenção redobrada, ajustar esse tamanho opticamente, imprimir e verificar. Ainda deverá realizar mais do que um tipo de assinatura para que o problema da legibilidade da designação seja contemplado.

Todas estas normas deverão de vir especificadas no manual de normas gráficas da marca que é um documento muito importante para ajudar a preservar a identidade e que muitas das vezes o cliente não solicita para não ter de pagar mais. O que é barato acaba por sair caro!

Muito obrigado e espero ter sido útil!

Fonte: Juan Costa, Design para os olhos, Marca, Cor, Identidade e Sinalética, Dinalivro.

Via: Design Culture